sábado, 28 de novembro de 2009

De Repente rio


De repente acontece e,
nessa corrente,
desaparece.
O que fica?

O rio caminha serenamente
silencioso
Vai vagaroso
e eternamente fundir-se ao mar...

Ele me ensina que,
devagar e sempre
em minha sina
eu vou chegar eternamente.






Autoria: Joselito da Nair, do Zé, do Rafael, de Ana Lúcia, de Tantas Gentes e de Jesus, O Emanuel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

joselitojoze@gmail.com