quarta-feira, 14 de abril de 2010

Perda de Tempo

É, faz tempo que o tempo foi passando
E a gente foi deixando ele ir
sem lembrar de você e de mim
bem assim como agora.

É, fez tanto tempo
que a saudade chegou
e você se lembrou de matá-la.
e saiu desse tempo a tempo.

Esse tempo devora e engole
a nossa memória
e explora nossa paciência.
Esse tempo é um câncer
que nos tira o tempo de vida.

Tempo cheio de exigências
que consomem o nosso escasso.
Que não nos dá um tempo
pra refletir nossa existência.

Invente seu tempo
a contento
saia desse tempo que conta
e desconta seu tempo.

Crie sua história
e teça sua memória
com um pouco de tempo
sadio, vagaroso, cheiroso

Faça isso a tempo
senão perde tempo,
muito tempo,
o tempo todo,
até esse tempo
lhe tirar do tempo.

Autoria: Joselito da Nair, do Zé, de Ana Lúcia, de Rafael, de Tantas Gentes e de Jesus, O Emanuel

2 comentários:

  1. poxa, zelito! vc me fez lembrar de meu pai qd me apresentou ao livro "o papalagui" em que o "indio" de samoa (se n me enganei de lugar) faz uma análise da relação do homem europeu com o tempo. esses q vc destaca: o tempo cronologico e o da experiência. ah! fiz uma resposta ao seu texto lah no meu blog! acessa! abs.

    ResponderExcluir

joselitojoze@gmail.com